terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Uma carta para alguém

Desde o primeiro dia em que te vi logo sabia que era você. Aquela pessoa que eu procurava, não sei explicar ao certo o que foi que me chamou a atenção, mas era você a pessoa.
Te olhei ali no meio do grupo, calada e sorrindo descontraidamente. Seu sorriso timido me chamou e eu fui, me sentei e não sabia como conversar, mas logo, sem perceber já estávamos a conversar. Ouvi suas histórias e contei um pouco de mim e de repente já eramos só nós dois em nosso mundo sem perceber que havíamos nos ausentado da existência alheia.
Chego em casa e te adiciono na rede social que mais utilizada na atualidade, continuamos nossa conversa mais histórias e quanto mais conversava, mais tinha para falar. Os dias foram passando e veio aquela vontade de te ver corri atrás e fui te encontrar marquei e nos encontramos, mas conversas e a conexão mental aumentando e quanto mais próximo ficávamos maior era meu medo de fazer tudo dar errado eu não queria estragar tudo. Segurei sua mão, o coração acelerou, acho que mais um pouco uma gota de suor escorreria pela testa mas não passavam de emoções aqui dentro. O tempo passou e não conseguir dar o passo a frente, apenas a conexão de vidas se fez presente, quase almas gêmeas e eu não sabia mais o que fazer. Os dias passaram, os meses caminharam e aparentemente as coisas esfriaram, sem tantas conversas, sem tantos sorrisos a vida seguiu.
Hoje estou indo embora, vou para outra cidade e não sei quando eu volto. Passei aqui na tua casa e deixei escrito tudo o que um dia queria te falar, eu te amo. Simples assim.
Mas a vida sempre me deixou ter medo de ser feliz, parece que a vida a dois me assusta. Tenho medo de amar, mas não medo de me machucar e sim medo de machucar você não sei o que eu posso errar infelizmente quando pegares essa carta eu provavelmente já vou estar a alguns mil quilômetros daqui, não sei o que tens pensado o que achou que eu queria. Eu só queria te ver feliz se isso responde a tua pergunta.

E continuo querendo que sejas muito feliz.

Adeus. Cuide-se e quem sabe não nos esbarramos em algum caminho da vida.


Belém, 29 de Abril de 2019

Nenhum comentário: